Seguidores

Translate - Tradutor

Seguir por Email

Volte sempre!


Fale Conosco 
 

Atenção. Importante!

Alguns Textos, Mensagens e Imagens foram retirados de variados sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.

A real intenção do blog Grupo Boiadeiro Rei não é de plágio, mas sim de espalhar Conhecimento e Espiritualizar...

 
TODO ACERVO DE MATERIAL DE ESTUDOS DO GRUPO DE ESTUDOS BOIADEIRO REI ESTA NO SERVIDOR ISSUU DEVIDO AO GRANDE NUMERO DE INFORMAÇÕES DA RELIGIÃO ACESSE - O LINK EBOOKS A BAIXO 
 
LlNK:
 

Pesquisar

Leia Também em nosso Site

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Como é Realizada uma Cerimônia Fúnebre na Umbanda Sagrada

 
 
Como todas as religiões a Umbanda também tem seu ritual "funebre". Ritual esse destinado a entregar o corpo carnal para a terra, e o envio do espírito para o plano espiritual, com total segurança e com o auxilio do nosso Pai Omulu e Pai Obaluaê.
Nesse processo de desencarne o espírito se encontra na irradiação de nosso Pai Omulu/Obaluaê, o corpo carnal já desativado funciona como uma "caixa", Pai Omulu/Obaluaê atuam no processo de desconectar o espírito do corpo e conduzi-lo em fim para a camada vibratória que nosso Pai Oxalá destinou aquele espírito.
Caso o corpo tenha alguma alteração ou modificação como "deficiência física", primeiro o corpo e o espírito entram na vibração da Mãe Iansa. Responsável pela reconstrução do corpo espiritual completado essa etapa, depois o corpo espiritual será entregue ao nosso Pai Omulu/Obaluaê.

Como Realizar o Ritual Funebre na Umbanda Sagrada
(texto extraído do livro "Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada - Rubens Saraceni, Editora Madras)

Primeira Parte
  1. Purificação do corpo com incenso.
  2. Purificação do corpo com água sagrada.
  3. Cruzamento do corpo com a pemba branca consagrada.
  4. Cruzamento do corpo com azeite d´Olivia consagrado.
  5. Borrifação do corpo com essências e óleos aromáticos.
Segunda Parte - Encomenda do Espírito

  1. Apresentação do falecido - o próprio sacerdote ministrante ou uma pessoa que conheceu bem o falecido deve neste momento da cerimônia fúnebre dizer algumas palavras sobre ele aos presentes.
  2. Palavras acerca da missão do espírito que encarna - o sacerdote ministrante deve recitar alguns textos escolhido por ele ou recitar de si mesmo algumas palavras acerca da missão do espírito que encarna e do que ele leva para o mundo dos espíritos quando do seu retorno à morada Maior.
  3. Prece ao Divino Criador Olorum (Deus...  Jesus Cristo) - Olorum, Senhor nosso Deus e nosso Divino Criador, ei-nos reunimos à volta do corpo carnal do teu filho (citar nome completo) que cumpriu sua passagem pela terra com fé, amor, e confiança, e não esmoreceu em momento algum diante das provações a que se submeteu para que pudesse evoluir e aperfeiçoar ainda mais a sua consciência acerca da Tua Grandeza, Senhor Nosso Pai! - Acolha essa espírito que já retornou ao mundo Maior, onde está a morada dos que o servem com humildade, fé e caridade Senhor Nosso Pai!- Envolva-o na Tua Luz Divina e o ampare-o  no Teu Amor eterno, Senhor Nosso Pai! - Amém.
  4. Canto a Oxalá - o sacerdote ministrante ou a Curimba deve puxar o ponto cantado de Oxalá, e após ele terminar deve dirigir algumas palavras a este Orixá Maior na Umbanda solicitando-lhe que acolha o espírito do falecido, ampare-o e direcione-o para as esferas superiores do mundo espiritual.
  5. Hino da Umbanda - o sacerdote ministrante ou a curimba deve cantar o Hino da Umbanda em homenagem ao espírito do falecido que durante a sua passagem pela terra seguiu a religião umbandista.
  6. Canto ao Orixá Obaluaê -  o sacerdote ou ministrante ou curimba deve cantar o ponto do Orixá Obaluaê e após ele terminar deve dirigir algumas palavras a este Orixá que é o Senhor das Almas e do Campo Santo para que acolha o espírito do falecido e ampare-o durante o transe de passagem do plano material para o plano espiritual direcionando-o para o seu lugar nas esferas espirituais.
  7. Canto ao Orixá de Cabeça do falecido - o sacerdote ministrante deve proferir algumas palavras sobre o Orixá de cabeça do falecido pedindo-lhe que ampare o espírito do seu filho(a) durante seu retorno ao mundo dos espíritos.
  8. Despedidas dos Presentes - todos os presentes, começando pelos seus familiares devem dar a volta no caixão onde está depositado o corpo do falecido despedindo-se dele e desejando-lhe uma vida luminosa e virtuosa no mundo espiritual.
  9. Fechamento da arca funerária (caixão) - o caxão deve ser fechado pela pessoa responsável pela funerária encarregado do seu enterro.
  10. Transporte do corpo ao cemitério - se esta cerimônia foi realizada no centro aonde o falecido frequentava ou em sua casa o caixão deve ser carregado pelos seus familiares e amigos até o veículo que fará o transportará até o cemitério onde deve ser enterrado. Mas se a cerimônia for realizada na capela do cemitério onde será enterrado, então o seu transporte deverá ser feito desde a capela até o túmulo através do meio que for recomendado pelos responsáveis pelo cemitério onde ele será enterrado.
  11. Enterro do corpo - o caixão após ser depositado dentro da cova deve  receber uma fina camada de pemba ralada antes que seja coberto de terra.
  12. Cruzamento da cova onde foi enterrado - após o túmulo ser coberto de terra e as flores serem depositadas sobre ele, o sacerdote ministrante deve cerca-la com pemba ralada criando um circulo protetor a sua volta, e deve acender quatro velas brancas, uma cima da cabeça, uma abaixo dos pés, uma ao lado direito e outra do lado esquerdo formando uma cruz, e proferir estas palavras: - "Divino criador Olorum, amado Pai Obaluaê, amado Pai Omulu, senhores guardiões do Campo Santo, aqui eu selo e cruzo a cova  onde (fulano de tal) teve seu corpo enterrado impedindo assim que ela venha a ser profana e  impedindo que seu espírito venha a ser perturbado por quaisquer ações que possam ser  intentadas contra ela a partir de agora! - Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aceitamos comentários edificantes. Siga seu caminho em paz, se essa não é sua crença.

Obrigado!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

“A Umbanda não é responsável pelos absurdos praticados em seu nome, assim como Jesus Cristo não é responsável pelos absurdos que foram e que são praticados em Seu nome e em nome de seu Evangelho.”


SIGNIFICADOS QUANTO AO FORMATO DA VELA



 
Cones ou Triangulares: equilíbrio, elevação.
Quadradas: estabilidade, matéria.
Estrela: espiritual, carma.
Pirâmide: realizações matérias.
Cilíndricas: servem para tudo.
Animais: para o seu animal protetor.
Lua: para acentuar sua energia intuitiva.
Gnomo: para seu elemental da terra.
Cone ou Triangulares: simbolizam o equilíbrio. Tem três planos: físico, emocional e espiritual.
Velas Cônicas: são voltadas para cima e significam o desejo de elevação do homem, sua comunicação com o cosmos.
Velas Quadradas: Simbolizam estabilidade na matéria. Seus lados iguais representam os quatro elementos: Terra, Água, Fogo, Ar.
Velas em Formato de Estrela de Cinco Pontas: É o símbolo do homem preso na matéria. Representa o carma.
Velas Redondas: Simbolizam mudança. E a energia mais pura do astral que só a mente superior alcança.