Seguidores

Translate - Tradutor

Seguir por Email

Volte sempre!


Fale Conosco 
 

Atenção. Importante!

Alguns Textos, Mensagens e Imagens foram retirados de variados sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.

A real intenção do blog Grupo Boiadeiro Rei não é de plágio, mas sim de espalhar Conhecimento e Espiritualizar...

 
TODO ACERVO DE MATERIAL DE ESTUDOS DO GRUPO DE ESTUDOS BOIADEIRO REI ESTA NO SERVIDOR ISSUU DEVIDO AO GRANDE NUMERO DE INFORMAÇÕES DA RELIGIÃO ACESSE - O LINK EBOOKS A BAIXO 
 
LlNK:
 

Pesquisar

Leia Também em nosso Site

segunda-feira, 22 de junho de 2015

AS LINHAGENS DE EXU

As linhagens de Exu surgem dos sete que comentamos no texto anterior, caso queira ler ou recorda-se segue link: 



Com isso, eles alcançam outros planos da Vida, onde são encontrados como Exus Encantados e Exus Naturais, sempre à esquerda dos orixás, com os quais volta e meia se antagonizam, pois exigem primazia, fato esse que os leva a tentarem tomar a frente dos seus médiuns aqui no plano material, só se aquietando quando são devidamente oferendados, identificados e assentados à esquerda deles.
Mas quanto aos que não têm médiuns porque não foram integrados à esquerda "humana", eles procuram aproximar-se dos orixás, aos quais oferecem-se como servidores com seus mistérios vitalizadores - desvitalizadores irradiadores naturais dos mistérios de um dos sete Exus Guardiões Naturais citados no capítulo anterior. E com isso vão evoluindo, pois são aceitos e assentados à esquerda deles, de onde os servem daí em diante.
E um Exu Encantado, após ser assentado à esquerda natural de um orixá Natural, imediatamente acolhe em seu novo domínio tantos Exus Encantados ainda "disponíveis", que forma uma verdadeira legião de auxiliares fidelíssimos e que o servirão com uma lealdade a toda prova, pois sabem que se o líder cair, cairão junto, mas se subir, subirão junto como manifestadores naturais do mistério que o líder começou a irradiar assim que foi assentado.
Para eles isso é muito importante porque começam a absorver novos fatores.
Com o tempo, isso os distinguirá dos que não foram assentados e não desenvolveram novos campos de ação e atuação.
Isso explica porque todo orixá "Individual" de um médium, seja da Umbanda ou do Candomblé, possui seu Exu, ao qual deve assentar no plano material e em sua "tranqueira".
Assim procedendo, os Exus Encantados desenvolvem linhagens de Exus, todos manifestadores de um mesmo mistério, absorvido no novo campo de ação e reação.
Essas linhagens são tão antigas que ninguém pode afirmar quando se iniciaram. Mesmo nas  hierarquias divinas, à exceção dos orixás assentados nos tronos regentes dos níveis vibratórios, a evolução é permanente e os orixás individuais, ou não, alcançam o grau de "naturais" e levam consigo "seus" Exus ao novo plano da Vida.
Em função dessas linhagens é que a Umbanda tem na sua "esquerda" tantas linhas de Exus, todos atendendo com nomes simbolizadores dos mistérios que já desenvolveram em si e que os manifestam a partir de si quando atendem a uma evocação mágica ou religiosa.
— Evocação mágica é aquela em que Exu é evocado no ponto de força natural onde deve ser oferendado;
— Evocação religiosa é aquela em que Exu é firmado e evocado em sua tranqueira ou assentamento, feito do lado de fora do templo, mas com a função de guardar seu espaço exterior, assim como a de vigiar as manifestações que acontecem durante os trabalhos espirituais realizados em nome dos orixás.
Saibam que toda evocação realizada dentro dos templos são evocações religiosas. Já as realizadas nos pontos de forças e com finalidades específicas são evocações mágicas.
São mágicas porque a pessoa é que tem de ir até Exu e ativá-lo; se não, ele não responderá aos pedidos feitos a ele mentalmente.
Agora, se os Exus dos médiuns têm pressa em ser firmados em sua "casa" ou tronqueira, é porque a partir daí poderão atuar religiosamente na vida das pessoas que o evocarem ou o consultarem por meio dos seus médiuns.
Saibam também que há diferenças entre essas duas evocações: na evocação mágica, Exu fará exatamente o que lhe ordenarem; na evocação religiosa, Exu só fará o que quem o convocou for merecedor.
Sim, na magia Exu tem liberdade de atuar segundo seus princípios. Já na religião, Exu é regido por princípios religiosos rigorosíssimos que, caso forem afrontados, levará ao tormento quem os afrontar.
Em si, Exu gera a confusão, a qual usa para confundir as pessoas às quais está atormentando.
Alguns mistérios negativos geram a ilusão, outros geram a ambição, outros geram o desejo, etc.
Enfim, cada mistério gera em si uma irradiação e uma energia que alcançam as pessoas que entrarem em sintonia vibratória com ele.
Assim, se alguém começa a vibrar a ambição, logo entrará em sintonia vibratória mental com o mistério negativo que gera uma irradiação energética bem específica e que só é captada e absorvida por quem estiver alimentando com intensidade esse sentimento classificado como negativo pela Lei Maior.
Saibam que a função dos mistérios é responder com suas irradiações energéticas a quem sintonizá-los mentalmente, movidos por seus sentimentos íntimos.
O fato é que Exu, que é um dos mistérios da criação e do Criador, foi gerado por Deus quando tudo Ele gerou. Em função disso, não tem um começo no tempo, já que é em si um princípio negativo. Assim, Exu já desenvolveu tantas linhagens quanto são os mistérios da criação.
E por isso, também, que temos Exus de Ogum, de Oxóssi, de Xangô, de lansã, de Omolu, de lemanjá, de Oxum, de Obá, de Obaluaiê, de Oxumaré, de Egunitá, de Oiá, de Nana Buruquê e de Oxalá.
Os Exus desses orixás desenvolveram em si a capacidade mental, magnética, vibratória e energética de vitalizarem ou desvitalizarem os mistérios deles (dos orixás) manifestados pelos espíritos.
Sim, se um ser que é "filho de Oxalá" traz em si desde sua origem a faculdade natural de manifestar os mistérios da Fé, no entanto a ele se contrapõe um Exu que tanto pode vitalizar essa sua faculdade ou dom como pode desvitalizá-la e torná-lo neutro ou apá¬tico nesse sentido da Vida.
Essa é a principal função do Mistério Exu no conjunto da criação divina. E se Deus criou Exu, não o fez desconectado do resto da criação porque lhe deu uma função fundamental que é a de interferir com seu mistério onde houver excesso ou falta de vitalidade, seja em nível individual ou coletivo, seja em nível de faixa vibratória ou mesmo de toda uma dimensão da Vida.
É por isso que Exu tem ojeriza ao epíteto de "demônio".
Exu não é o demônio, ou o diabo, ou o capeta, mas é tão somente um mistério natural porque gera em si e irradia de si o fator vitalizador da criação divina.
Para que tenham uma noção exata da grandeza do mistério Exu, saibam que quando ele atua em nível dimensional, é capaz de vitalizar ou desvitalizar o mistério de uma divindade, seja ela qual for, à exceção do divino Trono das Sete Encruzilhadas, que é em si o mental divino que dá sustentação a tudo o que aqui existe, inclusive a Exu. Logo, é dele que Exu absorve o fator vitalizador que sustenta sua evolução planetária.
Sim, o divino Trono das Sete Encruzilhadas é uma individualização do próprio Divino Criador, que individualizou-se em um dos Seus Tronos Cristalinos Fatorais (um Oxalá Fatoral) e por meio do qual deu origem ao nosso planeta e a tudo o que aqui existe. Portanto, se Exu planetário (o mistério vitalizador em si mesmo) existe, quem lhe deu existência em nível planetário e multidimensional e deu-lhe poder para vitalizar ou desvitalizar as espécies, as criaturas, os seres e mesmo os processos
e os mistérios, foi o nosso divino Trono das Sete Encruzilhadas, que é um Trono Cristalino Fatoral.
É por isso que o Exu do orixá Oxalá é das "Sete Encruzilhadas".
O divino Trono das Sete Encruzilhadas também individualizou-se nos seus sete Tronos auxiliares, que são os sete Tronos Essenciais ou Orixás Ancestrais.
Quando ele se individualizou em Ogum, a cada nível vibratório por onde o mistério Ogum manifestou-se, foram surgindo Oguns sétuplos, tais como:

Ogum Sete Lanças, Ogum Sete Espadas, Ogum Sete Correntes, Ogum Sete Escudos, Ogum Sete Coroas, Ogum Sete Ondas, Ogum Sete Raios

E cada um desses Oguns abriu em seu mistério ordenador sétuplo um campo para que Exu aluasse com seu mistério e pudesse vitalizar ou desvitalizar os seres regidos por eles, pois são Tronos ordenadores da evolução dos seres, mas que também qualificam os seres estacionados nos seus campos de ação com as qualidades dos seus mistérios.

Então surgem, aí, as linhagens dos:

Exus Sete Lanças
Exus Sete Espadas
Exus Sete Escudos
Exus Sete Coroas
Exus Sete Ondas
Exus Sete Raios

E o mesmo acontece com todos os outros orixás porque em cada um deles, o nosso divino Trono das Sete Encruzilhadas individualizou-se, pois só assim eles adquiriram a faculdade de irradiarem-se de forma sétupla, repetindo-o e multiplicando-o nos níveis vibratórios onde seus manifestadores estão assentados, regendo a evolução dos seres, das criaturas e das espécies.
Exu é indissociável da criação divina, pois é parte dela e é em si a própria vitalidade criadora de Deus. Logo, é em si a vitalidade criadora de Deus individualizada no seu Mistério Exu.

Concluindo, dizemos que o Trono Cósmico Exu é uma divindade unigénita de Deus porque é em si a qualidade vitalizadora ou desvitalizadora d'Ele, porque Exu é dual em tudo o que realiza. E Exu atua em todas as dimensões da Vida e em todos os seus níveis vibratórios, sejam eles irradiantes ou absorventes, positivos ou negativos, luminosos ou monocromáticos, porque é em si o mistério dual que tanto vitaliza como desvitaliza tudo o que Deus criou ou gerou. Por isso Exu gera de si suas linhagens de:

Exus de Oxalá
Exus de Oiá-Tempo (Logunan)
Exus de Oxum
Exus de Oxumaré
Exus de Oxóssi
Exus de Obá
Exus de Xangô
Exus de Egunitá
Exus de Ogum
Exus de lansã
Exus de Obaluaiê
Exus de Nana Buruquê
Exus de lemanjá
Exus de Omolu

Essas são as quatorze linhagens naturais de Exu, as quais se multiplicam no sexto plano da Vida ou estágio natural da evolução dos seres das criaturas e das espécies.
Então vemos baixar e incorporar nos seus médiuns tantos Exus que até temos dificuldades para interpretarmos corretamente seus nomes simbólicos. Muitos se referem a mistérios naturais que ainda não foram "humanizados" ou já foram há tanto tempo que ninguém mais se lembra deles e cujas chaves interpretativas já se perderam no tempo ou foram recolhidas pela Lei Maior porque lhes deram um mau uso, tanto no campo magístico quanto no campo religioso.
E isso sem levarem em conta a infinidade de seres naturais e de seres humanos (espíritos) que se "exunizaram". Sim, tanto os seres naturais quanto os espíritos podem absorver o Mistério de Exu e adquirirem a faculdade vitalizadora ou desvitalizadora que nos seres Exu é uma faculdade natural.
Saibam que, se um ser natural Exu pode desenvolver em si a capacidade de vitalizar ou desvitalizar a faculdade ordenadora dos seres naturais Ogum, estes também podem desenvolver a capacidade de ordenar ou desordenar a faculdade vitalizadora ou desvitalizadora dos seres naturais Exu.
A recíproca se aplica a toda a criação divina, porque só assim o equilíbrio na criação é mantido.
Por isso, os seres humanos ou "espíritos" podem "exunizar-se" ou desenvolver a capacidade de manifestarem o mistério dual de Exu.
Nós mesmos já escrevemos a história de vários "Exus", que na verdade são espíritos que exunizaram-se, ou são de Exus que espiritualizaram-se após encarnarem e meterem-se em "confusões" humanas ou de confundirem-se durante suas humanizações.
Perguntem aos Exus de trabalho dos médiuns de Umbanda e, com certeza, eles revelarão que já viveram no plano material como pessoas, algumas bem conhecidas porque têm seus nomes nos livros de história.
Estes, se são Exus, no entanto nunca deixarão de ser espíritos... que se exunizaram e desenvolveram a capacidade mental de irradiarem o mistério dual de Exu Natural, que é vitalizador ou desvitalizador dos mistérios alheios ou da vida de outros seres.

Aguardem continuação do texto

Fonte: LIVRO DE EXU "O MISTÉRIO REVELADO" Obra mediúnica inspirada por Mestre Seiman Hamiser yê

Muito axé a todos!


E continuem curtindo nossa pagina:
•••►Curtam nossa pagina: http://www.facebook.com/grupoboiadeirorei

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aceitamos comentários edificantes. Siga seu caminho em paz, se essa não é sua crença.

Obrigado!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

“A Umbanda não é responsável pelos absurdos praticados em seu nome, assim como Jesus Cristo não é responsável pelos absurdos que foram e que são praticados em Seu nome e em nome de seu Evangelho.”


SIGNIFICADOS QUANTO AO FORMATO DA VELA



 
Cones ou Triangulares: equilíbrio, elevação.
Quadradas: estabilidade, matéria.
Estrela: espiritual, carma.
Pirâmide: realizações matérias.
Cilíndricas: servem para tudo.
Animais: para o seu animal protetor.
Lua: para acentuar sua energia intuitiva.
Gnomo: para seu elemental da terra.
Cone ou Triangulares: simbolizam o equilíbrio. Tem três planos: físico, emocional e espiritual.
Velas Cônicas: são voltadas para cima e significam o desejo de elevação do homem, sua comunicação com o cosmos.
Velas Quadradas: Simbolizam estabilidade na matéria. Seus lados iguais representam os quatro elementos: Terra, Água, Fogo, Ar.
Velas em Formato de Estrela de Cinco Pontas: É o símbolo do homem preso na matéria. Representa o carma.
Velas Redondas: Simbolizam mudança. E a energia mais pura do astral que só a mente superior alcança.