Seguidores

Translate - Tradutor

Seguir por Email

Volte sempre!


Fale Conosco 
 

Atenção. Importante!

Alguns Textos, Mensagens e Imagens foram retirados de variados sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.

A real intenção do blog Grupo Boiadeiro Rei não é de plágio, mas sim de espalhar Conhecimento e Espiritualizar...

 
TODO ACERVO DE MATERIAL DE ESTUDOS DO GRUPO DE ESTUDOS BOIADEIRO REI ESTA NO SERVIDOR ISSUU DEVIDO AO GRANDE NUMERO DE INFORMAÇÕES DA RELIGIÃO ACESSE - O LINK EBOOKS A BAIXO 
 
LlNK:
 

Pesquisar

Leia Também em nosso Site

quarta-feira, 10 de junho de 2015

COMO SURGEM AS LINHAGENS DE EXU





Exu é um mistério da criação e, como tal, gera em si e gera de si.
Gerar em si significa que ele gera um fator, um magnetismo, uma vibração, uma energia e uma onda eletromagnética só sua. Gerar de si significa que ele gera suas qualidades, seus atributos e atribuições, aos quais irradia o tempo todo e quem desejar possuí-los, hasta absorvê-los para passar a tê-los em si.
Tal como Ogum gera em si a qualidade e o fator ordenador, com o qual magnetiza os seres gerados por Deus na sua onda viva tlivina ordenadora, qualificando os e fatorando os, a Divindade Exu gera a qualidade e o fator vitalizador, com os quais qualifica e fatora os seres gerados por Deus na sua onda viva divina vitalizadora.
Portanto, os seres que denominamos de "Exus Naturais" são gerados por Deus e são distinguidos desde sua geração com a qualidade e o fator vitalizador, aos quais geram e irradiam naturalmente, distinguindo-se dos seres Ogum, Oxóssi, Xangô, etc.

Então temos que:

— Ogum qualifica e fatora os seres naturais com sua qualidade e seu fator ordenador, tornando-os seres cuja natureza íntima é ordenadora e que são muito apegados aos procedimentos retos ou leais.
— Oxóssi qualifica e fatora os seres naturais com sua qualidade e seu fator expansor das faculdades ligadas ao conhecimento, tornando-os seres cuja natureza íntima é muito apegada às coisas do conhecimento.
E o mesmo acontece com todos os seres regidos pelos outros Orixás, assim como o mesmo acontece com a Divindade Exu, que qualifica e fatora os seres com sua qualidade e seu fator vitalizador, tornando-os seres cuja natureza íntima é vitalizadora, sendo muito apegados aos procedimentos vitais e transformadores.
Com tudo isso entendido e sabendo que Exu gera em si e de si, podemos explicar como ele gera suas linhagens ou hereditariedades. Como isso acontece?
Exu é em si uma qualidade e um fator cósmico do Divino Criador Olorum, que o gerou em Si e o tornou um dos Seus mistérios divinos cósmicos.

Logo, Exu também é uma divindade cósmica unigénita ou "única gerada", e é em si a divindade de Olorum que tanto gera em si quanto de si a Sua qualidade e o eu fator vitalizador.
Com isso explicado, então está fundamentada a capacidade e a faculdade genésica de Exu: qualificar os seres gerados por Olorum na sua onda viva divina vitalizadora.
Então, se Exu dá qualidade aos seres gerados na onda viva divina vitalizadora, no entanto estes seres, todos denominados de "Exus", precisam ser qualificados.
Essa qualificação obedece a uma regra geral, e com isso uns são qualificados como vitalizadores da Ordem, outros são qualifica¬dos como vitalizadores da Fé, etc.

Pronto! Agora temos a chave para explicarmos cientificamente as linhagens ou hereditariedades de Exu.

Então, temos estas linhagens:


Exus do Tempo ou dos Cristais
Exus dos Minerais
Exus dos Vegetais
Exus do Fogo
Exus do Ar
Exus da Terra
Exus da Água


Recordando, temos isto:

Cristal > Fé > Religiosidade
Mineral > Amor > Concepção
Vegetal > Conhecimento > Expansão
Fogo > Justiça > Equilíbrio
Ar > Lei > Ordenação
Terra > Evolução > Transmutação
Água > Geração > Criatividade

Assim:

— Um Exu dos Cristais é um ser que, em sua geração, foi imantado com o fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Cristalino ou Trono da Fé com sua qualidade, seu magnetismo e mistério cristalizador, qualificando esse Exu como um ser vitalizador da religiosidade dos seres. Daí surgem os Exus de Oxalá e de Oiá, que são os Regentes da irradiação da Fé e da Religiosidade dos seres;
— Um Exu dos Minerais é um ser que, na sua origem, foi imantado com o fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Mineral ou Trono do Amor com sua dualidade, seu magnetismo e mistério agregador, qualificando esse Exu como um ser vitalizador da concepção dos seres.



Daí surgem os Exus de Oxum e de Oxumaré, que são os Regentes da irradiação do Amor e da Concepção dos seres;
— Um Exu dos Vegetais é um ser que, na sua origem, foi i imantado com o fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Vegetal ou Trono do Conhecimento com sua qualidade expansora dos magnetismos e mistério expansor do raciocínio, qualificando esse Exu como um vitalizador do raciocínio dos seres. Daí surgem os Exus de Oxóssi e de Obá, c|iie são os Regentes da irradiação do Conhecimento e do Raciocínio tios seres;
— Um Exu do Fogo é um ser que, na sua origem, foi imantado com o fator vitalizador e tem nele a sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono ígneo ou Trono da Justiça com sua qualidade, seu magnetismo e mistério equilibrador, qualificando esse Exu como um ser vitalizador da razão dos seres. Daí surgem os Exus de Xangô e de Egunitá, que são os Regentes da irradiação da Razão e do Equilíbrio dos seres;
— Um Exu do Ar é um ser que, na sua origem, foi imantado com o fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Eólico ou Trono da Lei com sua qualidade, seu magnetismo e mistério ordenador, qualificando esse Exu como um ser vitalizador do discernimento dos seres. Daí surgem os Exus de Ogum e de lansã, que são os Regentes da irradiação da Lei, da Ordenação e do Direcionamento dos seres;
— Um Exu da Terra é um ser que, na sua origem, foi imantado com o fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Telúrico ou Trono da Evolução e da Transmutação com sua qualidade, seu magnetismo e mistério, qualificando esse Exu como um ser vitalizador da evolução dos seres. Daí surgem os Exus de Obaluaiê e de Nana Buruquê, que são os Regentes da irradiação da Evolução e da Transmutação dos seres;
— Um Exu da Água é um ser que, na sua origem, foi imantado pelo fator vitalizador e tem nele sua qualidade original. E, posteriormente, foi qualificado pelo Trono Aquático ou Trono da Geração com sua qualidade, seu magnetismo e mistério geracionista e criativista, qualificando esse Exu como um ser vitalizador da geração e da criatividade dos seres. Daí surgem os Exus de lemanjá e de Omolu, que são os Regentes da irradiação da Geração e da Criatividade dos seres.
Eis aí o surgimento das linhagens de Exus dos orixás, identificados pelas suas qualidades que, nos Exus, tornam-se seus atributos. Assim, se a qualidade de todo Exu é a vitalidade, seus atributos dependem do fator, do magnetismo e da qualidade dos orixás que o qualificaram.
Com isso, agora temos elementos para entender quando um Exu Natural se identificar como Exu desse ou daquele orixá.
Se um Exu disser que é o Exu de Ogum, é porque este o qualificou com sua qualidade, seu magnetismo e mistério ordenador e ele atua regido pela Lei Maior, que o ativa sempre que precisa que ele vitalize ou desvitalize alguém que está contrariando os princípios e os ditames da Lei Maior. E o mesmo acontece com todos os outros Exus dos outros orixás.
Esses Exus são classificados como "Exus Puros" ou "Exus dos Orixás", pois só existem sete linhagens deles, que são os Exus Guardiões dos Orixás Planetários, ou Tronos Regentes das irradiações divinas emanadas por Olorum, o nosso Divino Criador.
Essas sete linhagens de Exus são puras por causa dos fatores dos orixás que os qualificaram e abriram seus domínios para que neles eles atuassem como vitalizadores ou desvitalizadores dos seres sob sua regência.
Assim, um Exu dos Cristais vitaliza ou desvitaliza a religiosidade dos seres regidos pelo Trono da Fé e pelos regentes das suas duas linhagens ou hereditariedades. Assim, Oxalá rege, classifica e magnetiza os seres machos denominados "filhos de Oxalá", e Oiá rege, classifica e magnetiza os seres fêmeas denominados "filhas de Oiá".
O mesmo se repete com os outros Tronos e as duas linhagens (macho e fêmea) que classificam.

Assim sendo, temos isto:

— Todo filho de Oxalá e toda filha de Oiá têm na sua esquerda natural um Exu Guardião dos Cristais, da Fé ou da Religiosidade, cujo mistério vitalizador ou desvitalizador atua, preferencialmente, nos aspectos da fé dos seres, sejam eles filhos de Oxalá e de Oiá, ou não.
— Todo filho de Oxumaré e toda filha de Oxum têm na sua esquerda natural um Exu Guardião dos Minerais, do Amor e da Concepção, cujo mistério vitalizador ou desvitalizador atua, preferencialmente, nos aspectos do amor e da concepção dos seres, sejam eles filhos de Oxumaré e de Oxum, ou não.

Para não nos alongarmos, resumiremos assim:

— Todo filho de Oxóssi e toda filha de Obá têm na sua esquerda natural um Exu Guardião dos Vegetais, do Conhecimento e do Raciocínio.
— Todo filho de Xangô e toda filha de Egunitá têm na sua esquerda natural um Exu Guardião do Fogo, da Justiça e da Razão.
— Todo filho de Ogum e toda filha de lansã têm na sua esquerda natural um Exu Guardião do Ar, da Lei e da Ordenação.
— Todo filho de Obaluaiê e toda filha de Nana Buruquê têm na sua esquerda natural um Exu Guardião da Terra, da Evolução e da Transmutação.
— Toda filha de lemanjá e todo filho de Omolu têm na sua esquerda natural um Exu Guardião da Água, da Geração e da Criatividade.
Esses sete Exus Guardiões são Tronos Cósmicos assentados na dimensão natural onde vivem os seres Exus, e eles dão origem a sete linhagens e sete hierarquias de Exus Guardiões Naturais da es¬querda dos seres que vivem nas outras dimensões planetárias, inclusive a dimensão humana, habitada pelos espíritos.
Portanto, independentemente da religião ou da raça das pessoas, todos têm um Exu Guardião natural na sua esquerda, que tanto atua como vitalizador quanto como desvitalizador no sentido em que predomina o orixá Ancestral de cada um. Esse Exu Guardião natural não depende de nada ou de ninguém, senão do orixá Ancestral para atuar como vitalizador ou desvitalizador da pessoa cuja esquerda guarda naturalmente.
Esses Exus Guardiões Naturais da esquerda dos seres são os agentes cármicos naturais dos seres, sempre que estes se desvirtuam em algum dos sete sentidos da Vida. Eles atuam de maneira imperceptível e só os "guias de Lei" conseguem detectar sua atuação na vida dos seres ou das pessoas que frequentam os centros de Umbanda Sagrada.
Eles são imperceptíveis aos espíritos que ainda não alcançaram o graus, que até os possibilita ver as ondas vibratórias projetadas por eles. Essas ondas tanto podem estar vitalizando como desvitalizando as pessoas cuja guarda natural lhes pertence, ou aquelas que estão sofrendo suas atuações, mas nada podem fazer porque são atuações regidas pela Lei Maior e fogem de seus campos de ação religiosa ou magística. A única coisa que podem fazer é reajustar o íntimo e a religiosidade de quem sofrer esse tipo de atuação.
Já os "guias de Lei", que estão assentados junto aos Senhores Orixás, podem acessar mentalmente esses Exus Guardiões Naturais e alterar ou até anular suas atuações, pois a partir dali assumem a condução das pessoas ou dos espíritos que os procuraram.
Mas esses guias de Lei raramente incorporam em médiuns.
Então, como só revelar esse mistério não ajuda muito, nós vamos dar aqui sete tipos de oferendas rituais a esses sete Exus Guardiões Naturais dos seres e que, se feitas corretamente com fé e confiança, poderão ajudar no reequilíbrio mental, emocional e físico de quem estiver sendo atuado. Saibam que o próprio ato de oferendar é salutar, porque a pessoa, ao oferendar, já se predispõe a um reajustamento íntimo, pois se sente vulnerável e exposta ao sobrenatural ou ao desconhecido.
Vamos às oferendas rituais, que também servem como reajustadoras cármicas de quem as realizar:

Oferenda ao Senhor Exu Guardião dos Cristais

1- Acender sete velas bicolores preta e branca e dispô-las em círculos, em um campo aberto.
2- Colocar, dentro do círculo de velas, sete limões partidos em quatro partes, mas não separadas.
3- Partir um abacaxi verde em sete rodelas com a casca e colocá-las dentro do círculo de velas.

Após isso, evoca-se o Senhor Exu Guardião dos Cristais desta forma:

"Senhor Exu Guardião dos Cristais, mistério natural que lida com os aspectos religiosos do divino Trono da Fé e dos Senhores Orixás Oxalá e Oiá, eu o evoco, saúdo e reverencio por meio desta oferenda ritual. E peço que cesse sua atuação negativa e desvitalizadora do meu sentido da Fé e de minha religiosidade, assim como, que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função de minhas falhas, meus erros e pecados. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me na retificação deles e no meu reajustamento íntimo e equilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta e cristalina da minha evolução espiritual.

Salve, Senhor Exu Guardião dos Cristais!
Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo
Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

Após dizer tudo isso, dar sete passos para trás com os olhos voltados para o solo, sendo que o primeiro passo deve ser dado com o pé esquerdo, e quando der o sétimo passo, deve virar-se e ir embora sem olhar para trás. Não deve se passar pelo local antes de sete dias, pois nesse período estará acontecendo a atuação reajustadora e cármica do Senhor Exu Guardião dos Cristais, da fé e da religiosidade dos seres.

Oferenda Ritual ao Senhor Exu Guardião dos Minerais

1- Acender e firmar sete velas brancas, sete velas pretas e sete velas vermelhas, amarradas três a três, sendo uma de cada cor e dispostas em um círculo, próximo de uma cachoeira.
2- Colocar dentro de um alguidar de barro um coração de boi e, em volta dele, sete maçãs verdes partidas ao meio.
3- Derramar do lado de fora do círculo de velas uma garrafa de pinga e outra de champanhe rose.

Após isso, evoca-se o Senhor Exu Guardião dos Minerais desta forma:

"Senhor Exu Guardião dos Minerais, mistério natural que lida com os aspectos negativos do Trono do Amor e dos Orixás Oxum e Oxumaré, eu o evoco, saúdo e reverencio por meio dessa oferenda ritual. E peço que cesse sua atuação negativa, desvitalizadora e punitiva do meu sentido do amor, da concepção e da agregação, assim como, que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função de minhas falhas, meus erros e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e a reajustar-me intimamente, assim como, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta e mineral de minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião dos Minerais!
Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo
Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...

Oferenda ao Senhor Exu Guardião dos Vegetais

1- Acender sete velas pretas, sete velas verde-escuras e sete velas brancas, dispostas num triângulo cujo vértice, invertido, fique de frente para a pessoa que estiver firmando-as. Nesse vértice, coloca-se as sete velas pretas amarradas com uma fita vermelha; no vértice superior à esquerda, firma-se as sete velas verdes amarradas com uma fita preta; e no vértice à direita, firma-se as sete velas brancas amarradas com uma fita verde-escuro. Essa oferenda deve ser feita nas matas.

2- Colocar no centro do triângulo de velas um mamão macho verde aberto ao meio.
3- Colocar em volta do mamão sete cubos de carne bovina.
4" Derramar metade de uma garrafa de pinga em volta do triângulo e depois colocá-la na frente das velas pretas, dentro dele.

Após isso, evocar o Senhor Exu Guardião dos Vegetais desta forma:

"Senhor Exu Guardião dos Vegetais, mistério natural que lida com os aspectos negativos do Trono do Conhecimento e dos Orixás Oxóssi e Obá, eu o evoco, saúdo e reverencio por meio desta oferenda ritual e peço que cesse sua ação negativa desvitalizadora e punitiva do meu sentido do conhecimento, do raciocínio e do aprendizado, assim como, que faça essar todas as atuações negativas originadas em função de minhas falhas, meus erros e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e a reajustar-me intimamente, e também, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta de minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião dos Vegetais!
Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo
Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...

Oferenda ao Senhor Exu Guardião do Fogo

1- Acender sete velas vermelhas e sete velas pretas e distribuí-las em um círculo, de tal forma que fiquem intercaladas. Essa oferenda deve ser feita em uma pedreira.
2- Colocar quarenta e nove corações de ave (frango ou galinha) em sete pratos, sendo sete corações em cada um.
3- Colocar sete pimentas em cada um dos pratos (de papelão, plástico ou alguidar de barro).
4- Derramar em volta do círculo de velas um pouco de vinho tinto seco, e o resto da garrafa deve ser colocado no centro dos sete pratos com os corações de ave e as pimentas.

Após isso, evocar o Senhor Exu Guardião do Fogo desta forma:

"Senhor Exu Guardião do Fogo, mistério natural que lida com os aspectos negativos do Trono da Justiça e dos Orixás Xangô e Egunitá, eu evoco, saúdo e reverencio por meio desta oferenda ritual e peço que cesse sua ação negativa desvitalizadora e punitiva do meu sentido da justiça, do equilíbrio e da razão, assim como, que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função de meus erros, falhas e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e a reajustar-me  intimamente, e também, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta ígnea da minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião do Fogo!
Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo
Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...

Oferenda ao Senhor Exu Guardião da Terra

1- Acender e firmar sete velas brancas e sete velas pretas em círculo, intercaladas. Essa oferenda deve ser feita em um solo arenoso.
2- Colocar no centro do círculo de velas, um alguidar de barro com um pedaço de carne de porco.
3- Abrir uma garrafa de pinga e contornar com ela o círculo de velas, depositando o resto ao lado do alguidar.
4- Acender sete charutos e dispô-los dentro do círculo.

Após isso, evocar o Senhor Exu Guardião da Terra desta forma:

"Senhor Exu Guardião da Terra, mistério que lida com os aspectos negativos do Trono da Evolução e dos Orixás Obaluaiê e Nana Buruquê, eu o evoco, saúdo e reverencio por meio desta oferenda ritual e peço que cesse sua ação negativa desvitalizadora e punitiva do meu sentido da evolução, da transmutação e do saber, assim como, que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função dos meus erros, falhas e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e reajustar-me intimamente, e também, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta telúrica da minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião da Terra!
Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo
Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...

Oferenda ao Senhor Exu Guardião da Água

1- Acender sete velas pretas, sete velas vermelhas e sete velas brancas, e firmá-las desta forma:
a) círculo interno, feito com as velas pretas, acesas.


Internos.

b) círculo por fora do primeiro círculo, feito com as velas vermelhas, acesas.
c) círculo feito com as velas brancas acesas, circundando os outros dois,

Essa oferenda deve ser feita à beira d'água (rio, lago, mar).
2- Colocar no centro dos círculos de velas um alguidar com dois testículos de boi e um pedaço de fígado, também de boi.
3- Acender sete charutos e colocá-los ao redor do alguidar.
4- Abrir uma garrafa de pinga e derramá-la ao redor dos círculos de velas.
5- Abrir uma champanhe rose e colocá-la ao lado do alguidar dentro dos



Círculos.

Após isso, evocar o Senhor Exu Guardião da Água desta forma:

"Senhor Exu Guardião da Agua, mistério que lida com os aspectos negativos do Trono da Geração e da Criatividade e dos Orixás lemanjá e Omolu, eu o evoco, saúdo e reverencio e peço que cesse sua atuação negativa desvitalizadora e punitiva do meu sentido da geração, da criatividade e da sexualidade, assim como, que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função dos erros, falhas e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e reajustar-me intimamente, e também, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta aquática da minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião da Agua!
Peço a sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural".

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...

Oferenda ao Senhor Exu Guardião do Ar

1- Firmar sete velas pretas, sete azul escuras e sete brancas, acesas, formando um triângulo com o vértice voltado para baixo, no qual devem ser firmadas as sete velas pretas. Já no vértice superior à direita, firmam-se as sete velas brancas. No vértice superior esquerdo, firmam-se as sete velas azul escuras. Essa oferenda deve ser feita em um campo aberto da natureza.
2- Colocar no centro do triângulo de velas um alguidar com um pedaço de carne bovina e cobri-lo com pimentas vermelhas ardidas.
3- Colocar três charutos acesos dentro do triângulo.
4- Abrir uma garrafa de pinga e derramar um pouco, em cruz, na ponta de cada vértice do triângulo, colocando dentro dele a garrafa com o que sobrar.

Após isso, evocar o Senhor Exu Guardião do Ar desta forma:

"Senhor Exu Guardião do Ar, mistério que lida com os aspectos negativos do Trono da Lei, da Ordem e da Retidão, e dos Orixás Ogum e lansã, eu o evoco, saúdo e reverencio e peço que cesse sua atuação negativa desvitalizadora e punitiva do meu sentido da lei e da ordem, assim como que faça cessar todas as atuações negativas originadas em função dos erros, falhas e pecados cometidos por mim nesse sentido da Vida. Também vos peço que passe a atuar no sentido de ajudar-me a retificá-los e reajustar-me intimamente, e também, ajude-me no meu reequilíbrio mental, emocional e físico, pois só assim retomarei à linha reta da lei em minha evolução espiritual.
Salve, Senhor Exu Guardião do Ar!”

Peço sua licença para me retirar, confiante de que serei auxiliado pelo Senhor e por todos os membros de sua hierarquia natural.

A seguir, retirar-se dando sete passos para trás, começando com o pé esquerdo...



Observem que as palavras a serem pronunciadas nas sete evocações são as mesmas, assim como os procedimentos, só mudando no nome dos Tronos, o nome dos Orixás, dos Exus evocados e dos elementos usados. Se isso é assim, é porque estarão sendo evocados Exus Guardiões assentados em níveis vibratórios e em irradiações específicas.
Caso venha a fazer a oferenda, recomendamos que, antes de sair de casa, firme um triângulo de velas brancas aos orixás, e no centro dele firme outra vela branca para seu anjo protetor, pedindo-lhe amparo, proteção e guia durante a feitura dessas oferendas. E caso tenha um local onde firmar sua esquerda, que o faça também.
Após uma dessas oferendas a um desses Senhores Exus Guardiões dos Senhores Orixás Ancestrais, ele realmente começará a atendê-los e, imperceptivelmente, muitos conceitos erróneos arraigados em suas mentes e consciências serão depurados e surgirão oportunidades para que conceitos novos e retos sejam assimilados por vocês.
Saibam também que esses sete Exus Guardiões não se prestam a trabalhos de quimbanda, trabalhos corriqueiros ou de magia negra.
E quem ousar evocá-los para prejudicar seu semelhante, certamente sofrerá uma atuação tão intensa, que será todo desvitalizado e negativado, já que eles não se prestam a esses trabalhos.
Portanto, observe bem sua finalidade enquanto Exus Guardiões dos Orixás Ancestrais ou Tronos Divinos: vitalizar ou desvitalizar os seres por intermédio dos sentidos, aos quais eles acessam projetando suas ondas eletromagnéticas.
Esses Exus Guardiões lidam com os aspectos negativos e punitivos dos Senhores Orixás, sempre regidos pela Lei Maior, e não se prestam a trabalhos de magia.
Por isso, se oferendados corretamente, atuarão de forma imperceptível, mas muito profunda, capaz de alterar a psique e o emocional das pessoas.
— O Exu Guardião dos Cristais atua por meio do chacra coronário, ao qual ele acessa pela parte posterior da cabeça.
— O Exu Guardião dos Minerais atua por meio do chacra cardíaco, ao qual ele acessa pelo peito.
— O Exu Guardião dos Vegetais atua por meio do chacra frontal, ao qual ele acessa pela testa.
— O Exu Guardião do Fogo atua por meio do chacra solar, ao qual ele acessa pelo umbigo.
— O Exu Guardião do Ar atua por meio do chacra laríngeo, ao qual ele acessa pela garganta.
— O Exu Guardião da Terra atua por meio do chacra esplénico, ao qual ele acessa pelo pâncreas.
— O Exu Guardião da Água atua por meio do chacra básico. Suas ondas vibratórias são elementais e ligam-se ao corpo elemental básico dos seres, vitalizando-o ou desvitalizando-o. As suas ondas têm estas formas:

EXU GUARDIÃO DOS CRISTAIS
EXU GUARDIÃO DOS MINERAL
EXU GUARDIÃO DOS FOGO
EXU GUARDIÃO DOS VEGETAL
EXU GUARDIÃO DOS AR

Estes Exus podem ser oferendados nesses locais:

Exu Guardião dos Cristais > no tempo, em campo aberto
Exu Guardião dos Minerais > à beira dos rios
Exu Guardião dos Vegetais > nas matas
Exu Guardião do Fogo > nas pedreiras
Exu Guardião do Ar > nos campos abertos
Exu Guardião da Terra > em solo arenoso
Exu Guardião da Água > à beira de lagoas ou do mar
Aí está a descrição do que nos é permitido comentar a respeito deles, que atuam sobre todos os seres, espíritos e pessoas que se desvirtuarem em algum dos sete sentidos, sempre regidos pelos Orixás Ancestrais que são ativados ou desativados pela Lei Maior.

Fonte: LIVRO DE EXU "O MISTÉRIO REVELADO" Obra mediúnica inspirada por Mestre Seiman Hamiser yê

Muito axé a todos!


E continuem curtindo nossa pagina:
•••►Curtam nossa pagina: http://www.facebook.com/grupoboiadeirorei

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aceitamos comentários edificantes. Siga seu caminho em paz, se essa não é sua crença.

Obrigado!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

“A Umbanda não é responsável pelos absurdos praticados em seu nome, assim como Jesus Cristo não é responsável pelos absurdos que foram e que são praticados em Seu nome e em nome de seu Evangelho.”


SIGNIFICADOS QUANTO AO FORMATO DA VELA



 
Cones ou Triangulares: equilíbrio, elevação.
Quadradas: estabilidade, matéria.
Estrela: espiritual, carma.
Pirâmide: realizações matérias.
Cilíndricas: servem para tudo.
Animais: para o seu animal protetor.
Lua: para acentuar sua energia intuitiva.
Gnomo: para seu elemental da terra.
Cone ou Triangulares: simbolizam o equilíbrio. Tem três planos: físico, emocional e espiritual.
Velas Cônicas: são voltadas para cima e significam o desejo de elevação do homem, sua comunicação com o cosmos.
Velas Quadradas: Simbolizam estabilidade na matéria. Seus lados iguais representam os quatro elementos: Terra, Água, Fogo, Ar.
Velas em Formato de Estrela de Cinco Pontas: É o símbolo do homem preso na matéria. Representa o carma.
Velas Redondas: Simbolizam mudança. E a energia mais pura do astral que só a mente superior alcança.