Seguidores

Translate - Tradutor

Seguir por Email

Volte sempre!


Fale Conosco 
 

Atenção. Importante!

Alguns Textos, Mensagens e Imagens foram retirados de variados sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.

A real intenção do blog Grupo Boiadeiro Rei não é de plágio, mas sim de espalhar Conhecimento e Espiritualizar...

 
TODO ACERVO DE MATERIAL DE ESTUDOS DO GRUPO DE ESTUDOS BOIADEIRO REI ESTA NO SERVIDOR ISSUU DEVIDO AO GRANDE NUMERO DE INFORMAÇÕES DA RELIGIÃO ACESSE - O LINK EBOOKS A BAIXO 
 
LlNK:
 

Pesquisar

Leia Também em nosso Site

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O que é Natal?



Eu, menino, sentado na calçada, sob um sol escaldante, observava a movimentação das pessoas em volta, e tentava compreender o que estava acontecendo.
 
Que é o Natal? Perguntava-me, em silêncio.
 
Eu, menino, ouvira falar que aquele era o dia em que Papai Noel, em seu trenó puxado por renas, cruzava os céus distribuindo brinquedos a todas as crianças.
 
E por que então, eu, que passo a madrugada ao relento nunca vi o trenó voador? Onde estão os meus presentes? Perguntava-me.
 
E eu, menino, imaginava que o Natal não deveria ser isso.
 
Talvez fosse um dia especial, em que as pessoas abraçassem seus familiares e fossem mais amigas umas das outras.
 
Ou talvez fosse o dia da fraternidade e do perdão.
 
Mas então por que eu, sentado no meio-fio, não recebo sequer um sorriso? Perguntava-me, com tristeza. E por que a polícia trabalha no Natal?
 
E eu, menino, entendia que não devia ser assim...
 
Imaginava que talvez o Natal fosse um dia mágico porque as pessoas enchem as igrejas em busca de Deus.
 
Mas por que, então, não saem de lá melhores do que entraram?
 
Debatia-me, na ânsia de compreender essa ocasião diferente.
 
Via risos, mas eram gargalhadas que escondiam tanta tristeza e ódio, tanta amargura e sofrimento...
 
E eu, menino, mergulhado em tão profundas reflexões, vi aproximar-se um homem...
 
Era um belo homem...
 
Não era gordo nem magro, nem alto nem baixo, nem branco, nem preto, nem pardo, nem amarelo ou vermelho.
 
Era apenas um homem com olhos cor de ternura e um sorriso em forma de carinho que, numa voz em tom de afago, saudou-me:
 
Olá, menino!
 
Oi!... respondi, meio tímido.
 
E, com grande admiração, vi-o acomodar-se a meu lado, na calçada, sob o sol escaldante.
 
Eu, menino, aceitei-o como amigo, num olhar. E atirei-lhe a pergunta que me inquietava e entristecia:
 
Que é o Natal?
 
Ele, sorrindo ainda mais, respondeu-me, sereno:
 
Meu aniversário.
 
Como assim? Perguntei, percebendo que ele estava sozinho.
 
Por que você não está em casa? Onde estão os seus familiares?
 
E Ele me disse: Esta é a minha família, apontando para aquelas pessoas que andavam apressadas.
 
E eu, menino, não compreendi.
 
Você também faz parte da minha família... Acrescentou, aumentando a confusão na minha cabeça de menino.
 
Não conheço você! eu disse.
 
É porque nunca lhe falaram de mim. Mas eu o conheço. E o amo...
 
Tremi de emoção com aquelas palavras, na minha fragilidade de menino.
 
Você deve estar triste, comentei. Porque está sozinho, justo no dia do próprio aniversário...
 
Neste momento, estou com você! Respondeu-me, com um sorriso.
 
E conversamos...uma conversa de poucas palavras, muito silêncio, muitos olhares e um grande sentimento, naquela prece que fazia arder o coração e a própria alma.
 
A noite chegou... E as primeiras estrelas surgiram no céu.
 
E conversamos... Eu, menino, e Ele.
 
E Ele me falava, e eu O entendia. E eu O sentia. E eu O amava...
 
Eu, menino: sou as cordas. Ele: o artista. E entre nós dois se fez a melodia!...
 
E eu, menino, sorri...
 
Quando a madrugada chegou e, enquanto piscavam as luzes que iluminavam as casas, Ele se ergueu e eu adivinhei que era a despedida. E eu suspirava, de alma renovada.
 
Abracei-O pela cintura, e lhe disse: Feliz aniversário!
 
Ele ergueu-me no ar, com Seus braços fortes, tão fortes quanto a paz, e disse-me:
 
Presenteie-me compartilhando este abraço com a minha família, que também é sua... Ame-os com respeito. Respeite-os com ternura, com carinho e amizade. E tenha um Feliz Natal!
 
E porque eu não queria vê-Lo ir-se embora, saí correndo em disparada pela rua. Abandonei-O, levando-O para sempre no mais íntimo do coração...
 
E saí em busca de braços que aceitassem os meus...
 
E eu, menino, nunca mais O vi. Mas fiquei com a certeza de que Ele sempre está comigo, e não apenas nas noites de Natal...
 
E eu, menino, sorri... pois agora eu sei que Ele é Jesus... E é por causa Dele que existe o Natal.

O Grupo Boiadeiro Rei deseja a todos um...


E que o ano de 2013 seja muito melhor para todos nós.

Grupo de Estudos Boiadeiro Rei

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aceitamos comentários edificantes. Siga seu caminho em paz, se essa não é sua crença.

Obrigado!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

“A Umbanda não é responsável pelos absurdos praticados em seu nome, assim como Jesus Cristo não é responsável pelos absurdos que foram e que são praticados em Seu nome e em nome de seu Evangelho.”


SIGNIFICADOS QUANTO AO FORMATO DA VELA



 
Cones ou Triangulares: equilíbrio, elevação.
Quadradas: estabilidade, matéria.
Estrela: espiritual, carma.
Pirâmide: realizações matérias.
Cilíndricas: servem para tudo.
Animais: para o seu animal protetor.
Lua: para acentuar sua energia intuitiva.
Gnomo: para seu elemental da terra.
Cone ou Triangulares: simbolizam o equilíbrio. Tem três planos: físico, emocional e espiritual.
Velas Cônicas: são voltadas para cima e significam o desejo de elevação do homem, sua comunicação com o cosmos.
Velas Quadradas: Simbolizam estabilidade na matéria. Seus lados iguais representam os quatro elementos: Terra, Água, Fogo, Ar.
Velas em Formato de Estrela de Cinco Pontas: É o símbolo do homem preso na matéria. Representa o carma.
Velas Redondas: Simbolizam mudança. E a energia mais pura do astral que só a mente superior alcança.